Atividade funcional da pimenta vermelha (capsicum sp-solanacea) e pimenta do reino (piper nigrum-piperaceae)

Luara da Silva Rego, Priscila Osório Fernandes

Resumo


Trata-se de um estudo de revisão onde utilizou-se para a pesquisa as bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Eletrônic Library Online (SCIELO) e National Library of Medicine (PUBMED) a partir das palavras chaves: Pimentas. Fitoterapia. Nutrição. Capsaicina. Piperina, que teve como objetivo analisar e proporcionar maior conhecimento sobre as ações benéficas e atividades funcionais das pimentas do gênero Capsicum e Piper Nigrum, bem como suas contribuições para a saúde e possíveis riscos aos consumidores. Pois, são diversas as atividades funcionais aplicadas as pimentas, principalmente a pimenta vermelha (Capsicum sp-solanacea.), onde a principal parte utilizada, o fruto inteiro, é constituído principalmente por capsaicina e a pimenta do reino (Piper nigrum L.), onde também se utiliza o fruto constituído principalmente por piperina, que são as substâncias que conferem pungência aos mesmos. Ambas possuem estas substâncias que auxiliam desde a fases do processo digestivo, intestinal, pancreático e a melhoria da biodisponibilidade e metabolismo de macronutrientes e micronutrientes presentes, até a proteção com propriedades antiinflamatórias, antitumorais, antifúngicas e outras. Embora, haja uma ampla margem de segurança, a cautela no uso destas pimentas deve estar sempre presente, evitando assim, sintomatologias e efeitos colaterais indesejados que podem ser desencadeados pelo consumo exagerado das mesmas.

Palavras-chave


Pimentas; Fitoterapia; Nutrição; Capsaicina; Piperina

Texto completo:

PDF

Referências


Bioperine (Piper nigrum): Ação termogênica que melhora a absorção de nutrientes, 2016.

BOMTEMPO, M. Pimenta e seus benefícios à saúde. São Paulo: Alaude, 2007.

BRAVO, L. Polyphenos: chemistry, dietary sources, metabolism, and nutritional significance. Nutr. Reviews. v. 56, n. 11, p. 317-333, Nov,. 1998.

CALIXTO, J.B. et al. Contribution of natural products to the discovery of the transient receptor potential (TRP) channels family and their functions. Pharmacol Ther., v.106, n.1, p.109- 178, 2005.

CANTELAM, F.K. Estudo da cinética de secagem de pimenta malagueta (Capsicum frutescens) e influência da temperatura no teor de capsaicina. São josé do rio preto:2016.

CHAUDHRY, N.M.; TARIQ, P. Bactericidal activity of black pepper, bay leaf, aniseed and coriander against oral isolates. Pak J. Pharm. Sci., v.19, n.3, p.214-218, 2006.

Departamento de Bioquímica e Nutrição, Instituto de Pesquisa Tecnológica em Alimentos do CSIR: Atividades biológicas de pimenta vermelha (Capsicum annuum) e seu princípio pungente Capsaicina: uma revisão. Mysore, Índia; JULHO, 2016.

Educação UOL; química. Pimentas, estrutura, solubilidade e ardência Carvalho, C, Júlio, 2019.

Embrapa; Agricultura familiar Biodiversidade, Transferência de Tecnologia: Pimenta: diversidade e usos, 2015.

MONTANARI, C.A.; BOLZANI, V. Planejamento racional de fármacos baseado em produtos naturais. Quim Nova, v.24, n.1, p.105-111, 2001.

Panizza, S.T.; Veiga, R.S.; De Almeida, M.C., Uso Tradicional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, Conbrafito, Metha Ed., 2012, 267 pg.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 REVISTA DA FAESF


ISSN 2594-7125

©2017 FAESF - Faculdade de Floriano


Indexada:

google acadêmico sumários.org

  LOCKSS